Quanto você paga ao trocar câmbio / moedas?

Esse texto é para quem acha que o dólar está caro.
Bem, não há solução mágica… pois ninguém pode controlar o câmbio de fato. O que está no nosso controle é a decisão pelas melhores taxas.

A minha preferencia desde 2017 nas viagens é sacar com o cartão de débito do BB Americas. Prometo fazer um texto sobre o operacional disto. No momento eu só posso dizer que é muito importante ter uma conta no exterior. Escrevi alguns motivos aqui no blog neste link: Você precisa ter uma Conta no Exterior.

Na viagem para a Europa em 2018, vim com alguns dólares que já tinha em espécie e meus cartões de débito e crédito.

É sempre bom ter uma quantia em moeda estrangeira em espécie para emergências quando o cartão na funciona, ou então trocar uma pequena quantidade para pegar transportes ao chegar e sair dos aeroportos, dar gorjetas, etc.

Fiz algumas trocas nas casas de cambio em Portugal, fiquei surpreso com as taxas cobradas. Não me refiro às taxas fixas, eu não troco moeda em casas com cobrança fixa. Eu falo da taxa implícita ou spread, a diferença que a casa de câmbio cobra para lucrar e prover o serviço em cima da taxa de conversão comercial.

Bem, anotei todos os valores de compra e venda de Euros para Dólares e fiz a conta do spread médio da casa de cambio.

O cálculo é simples, pois você não precisa ter internet para checar a cotação comercial. Fiz da forma:

Spread médio (%) = |(CC – CV)|/(CC + CV)*100

Onde:

CC = Cotação de Compra
CV = Cotação de Venda

Com esta conta, calculamos o quão distante o preço da Cotação de Compra ou Venda está distante da Cotação média. Você pode desconsiderar o sinal do resultado da conta

Neste cálculo se considera que a casa de câmbio utiliza a mesma margem para a compra e venda, o que não é obrigatório. Se você tiver internet, pode calcular exatamente o valor para a transação que fizer.

Esse spread varia para cada casa de câmbio e levanto que é função de:

  • Liquidez das moedas que se está trocando;
  • Liquidez e concorrência do local geográfico da troca;
  • Volatilidade corrente global do mercado de cambio;
  • Margem de lucro e segurança decidida pelo proprietário do serviço.

Eu confesso que para as duas moedas mais líquidas do planeta USD e EUR, efetuando a troca dentro da União Europeia, eu não esperava pagar mais de 1,5% de spread. Estava errado.

Vou explicar com o exemplo de troca que fiz. Tirei a foto para me lembrar:

Cotações 16/5/18 da Nova Cambio da praça Rossio em Lisboa.

Cotações de compra e venda 1 USD = 0,823 e 0,861 EUR.

Cálculo do Spread médio = (0,861-0,823)/(0,861+0,823)*100 = 0,038/1,684*100 = 2,25%.

Em outras palavras, o cliente paga 2,25% do total pelo serviço.

Em Porto, ainda em Portugal, obtive os seguintes fiz as mesmas contas em 22/5/18 e obtive os valores:

Portocambios: 3,57% / Nova Câmbios: 2,91%.

Era esperado encontrar valores menores em Lisboa do que em Porto, pois a liquidez e concorrência em cidades mais relevantes (Lisboa) ajuda na redução do spread.

** Atualização do post em 28/05/18: encontrei em Madrid os seguintes valores em casas de câmbio próximas à Plaza Mayor: Best and Fast Change España 5,17% / Nova Câmbios: 5,39%.

Continuando o estudo, entrei na página da DG Cambio. Simulei a Compra e Venda de 1000 USD com BRL hoje em 24/7/18 na agência do centro do RJ.

USDBRL compra = 3,73 / USDBRL venda = 3,50.

Spread DG Cambio USDBRL: 3,18% = (3,73-3,5)/(3,73+3,5)*100.

Este valor calculado é sem IOF, pois aqui quero saber o quanto se paga somente pelo serviço de câmbio.

Se você acha que esses números são pequenos, some o IOF e imagine que você vai viajar para países em que precisará trocar a moeda duas vezes: Tailândia, Indonésia, Austrália, Canadá, Rússia, etc. Você precisará pagar duas vezes a conversão para moedas que tem menos liquidez que o Euro, então é esperado que na média você pague uma taxa maior do que a consegui em Lisboa.

Apenas para exemplificar uma dupla conversão e utilizando este caso que considero conservador (BRL-USD-EUR) o valor pago às casas de câmbio ficaria: 5,36% = (1-(1-0,0318)*(1-0,0225))*100.

Agora adicione o IOF atual de 1,38% na primeira troca. O resultado final é de 6,71% = (1-(1-0,0318-0,0138)*(1-0,0225))*100.

Deixar 6,71% logo de início com taxas, sem nem antes gastar é bastante coisa! Em outras palavras, é como se tudo que você comprasse tivesse um preço 7,19% maior só por se comprar no exterior (1/(1-0,0671).

Para viajar ou morar no exterior, é preciso encontrar alternativas melhores.

Pretendo continuar e escrever a análise usando saque com cartão do BB Americas e de contas no Brasil.

E aí, quanto vocês imaginavam que pagavam por trocar moedas? Já fizeram contas parecidas?
Se usam cartão de débito ou crédito, já fizeram as contas precisas do spread pago em relação à cotação comercial do câmbio?

Um abraço e até a próxima!

MDElsewhere in Portugal
2000px-Flag_of_Portugal.svg

Next Destination:
flagge-spanien

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s