Resultado MD Elsewhere (Abr/20): +8,1%. Em 2020: -17,4%.

Olá, amigo leitor!

Estamos há mais de um mês no lockdown. O que você aprendeu no período?

Vetores de Um Empresário Corajoso Com Remo E Barco A Remo ...
MD Elsewhere buscando o outro lado da margem.

Bom, eu terminei a leitura de dois livros e bati minha meta de atividades. Vou contar isso depois no post.

Também acredito que reduzi o tempo gasto em redes sociais, substituindo essa atividade de baixo valor por outros hábitos que estejam alinhados com objetivos de longo prazo. Essa é uma tarefa árdua e diária, é muito difícil evitar a distração do celular.

O trabalho continua a todo vapor. Reconheço que tenho sorte em ter um trabalho que dá oportunidade. As tarefas não foram afetadas pelo home office, e o volume de entrega desse projeto está enorme!

Bom, agora volto para o objetivo do post: apurar o resultado do mês.

1. Introdução. Ano de Investimento #15 / 2020 / Idade 34 / Abril

Foi um resultado de recuperação, +8,1% de rentabilidade.

É importante deixar claro que tamanho valor não é fruto de habilidade especial ou esforço extra.

O resultado vem da simples volatilidade dos mercados, passeio aleatório dos preços. Posso dizer que esse resultado é dos meus ativos, mas não é de ações especiais que realizei no mês.

Rentabilidade da carteira no mês, em 2020, e crescimento patrimonial no ano: +8,1%, -17,3%, -15,4%.

Outros índices:

  • CDI mês/ano: 0,28% / 1,30%.
  • IBOV mês/ano: +10,25% / -30,38%.

2. Notas Pessoais

2.1 KPI – Key Performance Indicators (Indicadores de Desempenho) do MD Elsewhere

2.2 Movimentação de ativos

Movimentação tática em 02/04: sai SEER3 (V 14,35 BRL) e ANIM3 (V 18,00 BRL), entra COGN3 (C 3,85 BRL). Essa movimentação apenas com empresas do setor educacional foi uma troca de ativos, não usei caixa e o volume girado foi somente de 0,5% do portfólio.

  • Percebi que o mercado bateu muito no preço de Cogna, vi como oportunidade e troquei de veículo nesse setor. Analisando no final deste mês, a mudança de posição parece acertada por ora, pois elas fecharam com alta de SEER3 +18,5%, ANIM3 26,5% e COGN3 43,9%. Isso que dizer que troquei o aumento de 18,5% e 26,5% que aconteceria com minha posição em SEER3 e ANIM3 por uma alta de 43,9% com COGN3.

SMAL11:

  • 15/04: reduzi minha posição em ações em 2%, vendendo 800x SMAL11 a 88,00 (mesmo valor que havia comprado no mês anterior).
    • Análise: a razão desta movimentação é migrar o portfólio levemente para o exterior, com ativos que me protejam mais de uma deterioração fiscal do Brasil. Hoje percebo que o impacto do COVID-19 pode ser muito maior que pensava, isso mudou minha percepção risco-retorno do portfólio.

USDBRL:

  • Comprei dólar no mês a 5,67 (CET). Usei 1%  do portfólio, metade do valor de venda do SMAL11.
    • Análise: a deterioração fiscal do Brasil me preocupa. Acredito que se a crise atual durar mais do que o esperado, o povo e o governo podem desistir do controle fiscal e aumentar ainda mais a dívida pública brasileira. Isso aumenta a desconfiança na capacidade de pagamento do governo.
    • Se o problema fiscal do Brasil não for resolvido, ou a dívida não for crível, a conta virá em algum momento aos brasileiros via inflação, juros altos, ou câmbio depreciado. A conta vem aos poucos, como a fábula do sapo na água fervente.
    • O dólar me parece bem caro, mas ele sempre parece caro mesmo…
  • Comprei ações de empresas mineradoras de ouro com o valor enviado.
    • Análise: a impressão de moeda para salvar as economias deve pressionar o preço dos ativos para cima, inclusive dos atrelados ao ouro. Veja um pouco mais sobre isso neste post: Mudanças de Paradigma by Ray Dalio.

2.3 Utilização de aporte e caixa

Em março/20:

No início da crise eu tinha 10% de Caixa em Reais, mas já gastei 2% (SMAL11) + 2% (SMAL11) +1,8% (VIVT4 e ABEV3) + 1% (USD) -0,6% (salário). Caixa em Reais atual do MD Elsewhere = 4%.

Em abril/20:

Adicionei metade da venda de SMAL11 descrita anteriormente ao Caixa: +1%.
Somei os dividendos recebidos e meu aporte salarial ao Caixa: +0,3%.
Transferi valor da Renda Fixa para o Caixa (vencimento do último CDB de banco médio comprado ainda na época da Dilma): +0,5%.
Caixa em Reais atual do MD Elsewhere = 5,8% (em relação ao início da crise).

3. Alocação de Recursos do Portfólio MD Mar/2020

Alocação de Recursos abril/2020.

Fico contente por ter chegado à marca de 20% de recursos próprios no exterior! \o/

É um marco em linha com a filosofia do “MD Elsewhere” em que somos cidadãos globais. A integração do mundo é um caminho sem volta.

3.1 Alocação geral ao longo do tempo

Alocação de Recursos no tempo.

Ainda lembro quando atingi 10% de recursos no exterior em março de 2016, na loucura do governo Dilma II. Foi um período de muito risco. Vejam a linha vermelha na imagem acima, ela descreve esse momento.

Hoje, quatro anos depois, o MD Elsewhere chaga a marca de 20% do portfólio no exterior! \o/

No início do ano, eu tinha a meta de chegar em 15% em ativos “dolarizados”, mas a crise do COVID-19 acelerou demais o processo.

3.2 Alocação da seção de Ações (48,2%)

MDE livro de ações.

A única mudança foi a redução de SMAL11.

3.3 Alocação da seção de FIIs (9,6%)

Nenhuma mudança em FIIs no período.

MDE livro de FIIs.

3.4 Alocação da seção Global (20,5%)

3.4.1 Ações & Dólar (7,3%)

A cotação do Dólar fechou o mês em 5,49 reais. Faltam só 9% para chegar a 6,00 reais. É logo ali.

Realmente torço para o Brasil e sua moeda, o nosso Real.

O problema é que o torcedor é irracionalmente levado pela paixão, e não pela razão

Estamos aqui como investidores e não torcedores.

A imagem abaixo mostra meu portfólio Global no fim de abril/2020.

MDE livro de ações no exterior.
3.4.2 Commodities: Ouro e Prata (11,9%)

Essa parcela continua aumentando de forma a proteger meus recursos em caso de inflação e desvalorização das moedas no mundo.

Essa exposição vem através de ETFs e também diretamente de algumas ações de mineradoras.

Preparei um gráfico para explicar como tenho alocado esse valor.

MDE livro de commodities.

IAU: ETF de ouro.
GDX: ETF de mineradoras de ouro.
GOLD: ações da segunda maior mineradora do mundo.
NEM: ações da maior mineradora do mundo.
AEM: mineradora de ouro.
KL: mineradora de ouro.
SLV: ETF de prata.

Expliquei melhor a razão deles no post de resultado do mês anterior, que você pode checar pelo link: Resultado MD Elsewhere (Mar/20): -19,6%. Em 2020: -23,5%.

3.4.3 Criptomoedas (1,3%)

Devo admitir aqui que o Bitcoin decolou e mostrou sua cara!

Uma grande vantagem das criptomoedas é a independência das moedas dos países. A combinação de desvalorização do Real para o Dólar, aliada à alta do BTC para o Dólar, fez com que o Bitcoin subisse +41% em abril!

Eu não compilo o resultado das minhas outras criptomoedas para ter simplicidade na apuração, mas elas devem ter subido também e provavelmente escondem um resultado positivo a se somar.

Penso com recorrência em aumentar essa parcela de criptomoedas para até 2%.

4. Proventos Recebidos

Estou a 62% da minha meta FIRE, a conhecida IF.
O topo da minha renda passiva foi aproximadamente 70% da FIRE.

Abril foi o 14o mês no intervalo 60-70%.

Minha renda passiva de ativos continua caindo com a crise, o que é normal, mas é uma pena.

O que dá para fazer é se adequar o cenário e navegar por ele até mares mais calmos.

Renda Passiva para a FIRE.

5. Crescimento Patrimonial

Estou há 3 meses e -18% em relação ao topo histórico.

Já estive pior.

Em relação a tempo, o pior drawdown (marca d’água) foi para o topo de Agosto/2014. Foram 17 meses abaixo dele, de set/14 até jan/16.
Eu considero esse período como o mais difícil da minha vida de investidor.

Em relação à queda percentual, o pior drawdown (marca d’água) foi para o topo da crise atual em Janeiro/2020. Foram -22% de queda patrimonial.

Nosso trabalho agora é navegar bem nessa crise, evitar mais perdas e acelerar quando as condições forem mais propícias.

6. Fechamento

Equilíbrio e cautela.

O período atual continua muito difícil.

Os ativos financeiros já se moveram para estimar um pouco melhor a realidade, mas a economia real ainda não sentiu o pior da crise.

Apesar de flertarmos com notícias de término do lockdown, certamente a liberação será cheia de restrições.

Ainda existe a hipótese de voltar com outro período de lockdown se o sistema de saúde piorar.

Temos enormes desafios de saúde e economia pela frente. Para nós brasileiros, ainda temos a política e judiciário desastrosos que se movem independentemente da necessidade do país, movidos apenas por interesses próprios.

O problema fiscal também voltou a assombrar o Real.

A forma de nos defender do cenário negativo é através da cautela, equilíbrio e diversificação.

Nós atravessaremos esse tempo difícil…

Nos vemos lá na frente!

MD Elsewhere in Brazil

 

 

 

 

Next Destination