Resultado MD Elsewhere (Dez/20): +5,6%. Em 2020: +3,8%.

Disciplina, paciência, recompensa.

Amigos, que ano foi esse??!!

Um 2020 histórico para a humanidade, a surpresa da pandemia da Covid-19 foi enorme e demoliu as economias e mercados do globo.

Estamos prontos aqui para o próximo ano. O ritual de balanço dos investimentos continua.

Digital Competition Entries – The Journey | DEEP-linking Youth
Vamos juntos nessa jornada!

1. Introdução. Ano de Investimento #15 / Idade 35 / Dezembro/2020

Uma pausa para apreciar a retomada! 🙂

O CDI ficou para trás!

Verdadeiramente, pensar em bater o CDI após a carteira marcar -34% durante o ápice da incerteza era algo impossível. Vejam o tweet que fiz em 24/Mar/2020.

Tweet postado em 24 de Março de 2020

A crise causada pela Covid-19 foi a mais intensa em tamanho de queda que já vivi, embora tenha sido muito rápida para recuperar o topo.
Tamanho da queda: -34%. Tempo para recuperação: 10 meses.

Em contrapartida, ainda considero o pior drawdown como sendo o do governo do PT em 2014-2015.
A intensidade da queda foi -17%, mas o período abaixo da linha d’água foi de 2,5 anos. Foi pior.

Performance mensal e no ano de 2020

A Portfólio MDE fechou 2020 com rentabilidade de +3,8%. Resultado equivalente a 138% do CDI.

O compilado dos resultados mensais mostram como a pancada Covid-19 foi forte. A recuperação foi incrivelmente tão rápida quanto a pancada.

Outros índices no ano de 2020:

  • Selic e CDI: +2,75%.
  • Ibovespa: +2,9%.
  • Dólar: +29,4%.
  • MD Elsewhere: +3,8%.

2. Notas Pessoais

2.1 KPIs – Key Performance Indicators (Indicadores Principais de Desempenho)

  • Rentabilidade da carteira em dezembro 2020: +5,6%.
  • Rentabilidade acumulada da carteira no ano de 2020: +3,8% VITÓRIA!
  • Aporte na carteira durante o ano: 5,3%.
  • Crescimento patrimonial no ano (aportes inclusos): +10,2% TO THE SKY!
  • Leitura ou escuta (audiobook) de 1 livro por mês em 2020. Realizado: 8/12.
    • Criarei uma página dedicada aos livros, será chamada de Biblioteca MD Elsewhere. Lá eu colocarei todos os livros que estão na minha biblioteca separados por ano em que li.
  • Realizar 8x atividades de esporte e bem estar, mínimo de 1 h/semana.
    • A meta foi parcialmente cumprida, mas o ano foi do Surfe! Melhorei bastante meu surfe, foi um dos presentes que a pandemia me deu.

2.2 Movimentação de ativos

Em 2020 foram duas grandes movimentações realizadas.

A primeira foi começar o ano com o aumento de 47% para 58% na seção de Ações Brasil.
Em março, o Coronacrash apareceu e nos acertou no peito por causa do tamanho da posição.
A segunda grande movimentação foi de intensificar a internacionalização do portfólio no meio do tiroteio em condições desvantajosas. Vendi muitos ativos a preço de pandemia para comprar dólar a preço de pandemia. Foi uma movimentação cara de proteção que custou pontos da rentabilidade no ano.

O investimento não deve ser julgado com o peso das informaçõeas a posteriori, as informações que vem após o resultado.
O processo decisório de investimento deve ser julgado sempre com as informações a priori, ou seja, disponíveis no momento da decisão. Este processo deve avaliar a matriz de resultados possíveis para escolher a melhor alternativa.

A ideia acima vale para várias decisões da vida.

Após proteger o patrimônio chegando a 30% de investimentos no exterior, decidi manter e avaliar essa proporção 70/30, 70% no Brasil e 30% no Exterior em dólar.

3. Alocação de Recursos do Portfólio MDE

A Alocação de Recursos, Asset Allocation, talvez seja o tema mais negligenciado na construção de riqueza.

Em 2020 a economia brasileira não decolou e o ciclo de lucro das empresas foi interrompido. O Brasil entrou em recessão novamente.

O sentimento que tenho é que 2020 foi uma lacuna em branco e agora estamos em situação muito parecida com a do início de 2020. As diferenças são o nível de dívida do país (e todas suas consequências) e a aceleração digital (com a distinção entre “nova” e “velha” economia).

A minha carteira de investimentos hoje é na sua forma mais esmigalhada a seguinte:

3.1 Alocação geral ao longo do tempo

Vamos avaliar o asset allocation de 2020.

Temos compilado abaixo as alterações nos livros de investimento durante 2020:
– Seção de Ações Brasil começou com 58% e terminou em 43% (-15%).
– Seção de Ações Exterior começou com 4% e terminou com 16% (+12%).
– Seção do Setor Imobiliário (FIIs + Imóvel) começou em 16% e terminou em 14% (-2%).
– Seção de Crédito, que são Renda Fixa + FGTS, começou com 13% e terminou com 10% (-3%).
– Seção de Commodities começou com 4% e terminou em 9% (+5%).
– Seção de Criptoativos começou com 1% e terminou com 5% (+4%).
– Seção de Multimercados começõu em 4% e terminou em 3% (-1%).

O resumo da ópera é que nenhuma das classes de ativos foi alterada em mais que cinco pontos percentuais (+5%) durante o ano.
Em contrapartida, a diversificação é notável. O investimento no exterior saltou de 9% para 30%. A concentração em ações Brasil diminuiu consideravelmente. As seções de commodities e criptomoedas ganharam relevancia no portfólio, que está representado de forma macro na imagem abaixo.

A diversificação faz com que uma carteira alcance retornos maiores pelo mesmo nível de risco, isto é o Santo Graal de Ray Dalio, tema que já desenvolvi aqui no blog.

Gostaria de adicionar um último ponto. Escrevi no texto de fechamento de 2019 a seguinte frase:

A meta para 2020 é elevar a minha parcela de investimentos no exterior de 9% para 15%!

Posso dizer que cheguei lá e dobrei a meta. A parcela de investimento no exterior em 2020 fechou em 30%!

3.2 Alocação da seção de Ações Brasil (43%)

Confesso que preciso fazer um gráfico para mostrar a seção de Ações Brasil. Não tenho um feito no momento, pois deletei a aba do gráfico na minha planilha.

Os pontos mais importantes em 2020 foram:
– Reduzi a posição de ITSA4, que foi a minha maior posição por muitos anos, a uma posição normal. Hoje ela representa 1% do meu portólio.
– Zerei a posição em IRBR3. Essa foi uma das maiores vitórias de 2020. A ação representou sozinha 5% do portfólio. Após as cartas da gestora Squadra, resolvi zerar a posição em tempo do derretimento de valor da empresa. Vendi a 37,26 reais (-17% do pico). Doeu na hora, mas hoje me sinto vitorioso, pois as ações valem 8,18 reais, que são aproximadamente 80% de perda de valor!
– Hoje nenhuma ação representa mais que 2% da minha carteira, com exceção de RLOG3, que está na mira de venda. Em breve venderei um pouco para deixar todas as ações abaixo de 2%.

A carteira MDE possui agora 41 ações.

3.3 Alocação da seção de FIIs e Imóveis (9%)

Setor Imobiliário na Bolsa de Valores: Dicas Para Investir

Diminuímos a carteira de FIIs durante o ano de 2020, foi uma estratégia para tentar aumentar a rentabilidade após o estouro da crise.

Zeramos os FIIs de papéis. Zeramos alguns de lajes corporativas. Aumentamos os de galpões logísticos.

3.4 Alocação da seção Global (25%)

3.4.1 Ações & Dólar (16%)
H3 Global Companies - Clip Art International Food PNG Image | Transparent  PNG Free Download on SeekPNG

Durante o ano de 2020, zeramos nosso caixa no exterior para ficar 100% comprados em ações globais e commodities.

Reduzimos o investimento passivo em IWDA (que segue o índice MSCI World) e CSPX (segue o S&P 500) para concentrar nas ações de big techs americanas. Além disso, introduzimos na carteira ações de empresas asiáticas.

O crash da pandemia nos forçou a buscar diversificação também na Ásia, que será o motor do mundo nessa década que entra. Buscaremos alocar entre 3-5% dos recursos com exposição ao continente.

3.4.2 Commodities: Ouro e Prata (9%)

Escrevi em dezembro de 2019:

Em novembro e dezembro eu aumentei a minha posição em Ouro. Saí de 2% para 4%, e gostaria de subir até a 5%.

O crash da Covid-19 nos fez aumentar essa posição até incríveis 14% no portfólio em agosto de 2020. A partir de então com as incertezas diminuindo, fechamos o ano com 9% nessa seção.

Em 2020 nós também introduzimos a diversificação em prata.

IAU e SLV são ETFs de Ouro e prata respectivamente.
GDX é um ETF de mineradoras de ouro.
GOLD, NEM KL e AEM são empresas de mineração de ouro.

3.4.3 Criptoativos (5%)
9 of the Most Well-Known Types of Cryptocurrencies

Escrevi em dezembro de 2019:

Não vi o resultado das Criptos, mas elas tem representado cada vez menos no meu portfólio, pois ele vai crescendo e eu não fiz mais aportes nesses ativos. Será que 2020 será o ano da virada?

Pois bem, o inesperado aconteceu. Para a lua, Bitcoin!

To The Moon Bitcoin GIF by Mr.Cryply - Find & Share on GIPHY

Após 2018 e 2019 ruins para o investimento em criptomoedas, 2020 veio para virar o jogo.
O Bitcoin, BTC, valorizou aproximadamente 400% em reais.

Eu só tinha comprado criptomoedas em 2017, mas reforcei novamente em 2020. Comprei em maio e em outubro valores que a soma representa 1,5x o que eu tinha investido em 2017.

As criptomoedas representam agora inimagináveis 5% do portfólio MDE, e estão divididas na imagem abaixo.

Tenho estudado sobre criptomoedas e continuo acreditando que elas terão bastante utilidade.

4. Proventos Recebidos

Estou a 50% da minha meta FIRE, a conhecida IF.
O topo da minha renda passiva foi aproximadamente 70% da meta FIRE.

O ano de 2020 veio para chacoalhar minha renda passiva.

A crise afetou toda a economia. As empresas e os fundos imobiliários pagaram menos dividendos.

A queda da linha do gráfico é visível. Estávamos a 70% da meta de IF, mas os valores recuaram para 50%.

5. Crescimento Patrimonial

Na gestão de recursos, é chamada Linha D’água o valor no qual a partir dela o gestor deixa de ter performance negativa em relação ao pico anterior.

A analogia é que ao continuar com performance positiva, o gestor está respirando ar e recebendo taxa de performance. Entretanto, se estiver com eprformance negativa, ele está embaixo d’água e não recebe até sair da água.

Fins and Freedom Sail 2018 | Visit St. Augustine
MDE saiu de baixo da Linha D’água!
Patrimônio acumulado do MDE desde 2010

São +4,8% de valor patrimonial acima do último pico em janeiro de 2020. Saímos do drawdown!

5. Fechamento

Bom, cumprimos a meta de aumentar para 15% a parcela de investimentos no exterior em 2020. Como escrevi antes, dobramos a meta e estamos com 30%. Pretendemos ficar dentro do intervalo 25%-35%. Isto dependerá bastante de como o câmbio se comportar em 2021.

O ano que passou foi de diversificação, pois além da internacionalização forte, inclusive com a entrada do vetor Ásia, aumentamos as seções de commodities e criptomoedas.

O início de 2020 prometia bons resultados, mas que foram interrompidos pela pandemia.

Acredito que este início de 2021 promete bons resultados, pois o mundo precisa de uma recuperação cíclica após a crise.

Então, apertem os cintos e mantenham a disciplina. Investir é abdicar algo do presente por algo melhor no futuro. Seremos recompensados.

Um abaço e nos vemos lá na frente!

MD Elsewhere in Brazil